quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Professores realizam ato dia 09 de outubro em Florianopolis

Trabalhadores da rede estadual de ensino de toda Santa Catarina protestaram na capital neste dia 09 de outubro.  Os professores exigiam mais verbas e investimentos para a educação,  aplicação da lei do piso na carreira e um 1/3 de hora atividade (1/3 da jornada de trabalho destinado ao trabalho pedagógico realizado fora da sala de aula). Também denunciaram o Tribunal de Contas do Estado por aprovar as contas irregulares do governador Raimundo Colombo, que destinou verbas do orçamento da educação para outros fins.

Trabalhadores em educação protestando no centro.




Protesto em frente ao Tribunal de Contas do Estado



Os mais de 300 profissionais da educação protestaram em frente a Tribunal de Contas do Estado cantando palavras de ordem como “Colombo e Salomão, cadê o dinheiro da educação”, exigindo a reprovação da prestação de contas do governo.

Depois seguiram para o Centro Administrativo do Estado, para cobrar diretamente do governador Colombo mais investimentos. “Enquanto professores dão aula e alunos estudam nas condições mais precárias possíveis, Colombo arranja milhões para dar à BMW. Não é verdade que não tem dinheiro pra investir na educação”, disse Rosane (dirigente do Sinte-Florianópolis e militante do PSTU). Os educadores exigiram também que a presidente Dilma invista mais na educação pública e que cancele o leilão do petróleo. “Os roaylties do petróleo são só 5% da riqueza. Todo o resto vai pra mãos privadas. Isso vai dar apenas 0,6% do PIB na educação e só em 2023. Queremos que o petróleo seja do povo e 10% do PIB já”, disse Maicon (dirigente do Sinte-SJ e militante do PSTU).

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou dessa matéria? Deixe seu comentario.