terça-feira, 17 de março de 2015

Coluna nº18 - Greves em SC, criminalização na UFSC, atos de 15 de março. Veja alguns temas da semana.





Levante do Bosque
Semana passada saiu em toda a imprensa a notícia de que 36 pessoas, dentre alunos, servidores e professores da UFSC foram indiciados pelo Ministério Público pela participação na manifestação conhecida como "Levante do Bosque". Assim, se inicia mais um capítulo da tentativa da Polícia Federal e Militar de criminalizar qualquer tipo de manifestação ou mesmo a liberdade de expressão daqueles que discordam de seus atos. Os professores e estudantes que participaram do ato, manifestavam-se contra a atitude extremamente arbitrária da polícia de prender um estudante dentro do campus. Entre os indiciados estão o professor presidente do Sindicato Nacional de Docentes de Instituições de Ensino Superior -ANDES, o diretor e a vice-diretora do Centro de Ciências Humanas da UFSC e a reitora, Roselane Neckel. Enquanto isso, verdadeiros criminosos, inclusive os de colarinho branco, continuam sem nenhuma investigação. 

Coisa de patrão
Impossível não comentar sobre as manifestações que aconteceram no último dia 15 de março. Para quem duvida do caráter pró-patronal do ato, é só ver a participação ativa que tiveram os empresários do estado nos atos locais. Não só as suas entidades representativas convocaram os atos com todo empenho, como a famigerada Maçonaria foi um dos principais expoente em Florianópolis. 

Caiu a máscara
Um dos resultados inconteste das passeatas de domingo passado, foi  desmascarar muitos personagem de nossa politica e imprensa, que últimos anos posaram  de democratas. O jornalista Moacir Pereira é um desses casos típicos. Durante as ultimas décadas, vinha tentando se mostrar como um democrata, chegando a posar muitas vezes como defensor dos professores em suas lutas. No entanto na sua coluna dessa segunda feira, fez uma verdadeira apologia das manifestações reacionárias desse domingo, chegando a afirmar que “ Nem nas ‘Diretas Já’ viu-se uma mobilização tão expressiva, legítima e definitiva”. Pelo jeito baixou a saudade da ditadura de seus amigos Bornhausen, Amin, Konder Reis e cia. 

Greve em São José - Prefeita a culpa é tua!
Servidores públicos de São José decretaram greve por tempo indeterminado a partir de hoje, em uma assembleia lotada e por unanimidade. A categoria luta por melhorias no Plano de Carreira e pelo cumprimento dos acordos realizados no ano passado com a prefeita Adeliana Dal Pont, do PSD. Segundo o sindicato, são quase 5 mil servidores que irão parar, responsáveis pela Sáude, Educação e Assistencial Social. 

Correios 
Os trabalhadores dos correios de SC paralisarão os trabalhos nessa quarta e quinta-feira, dias 18 e 19. Motivo para se mobilizarem não falta, vão desde a luta contra a privatização de serviços da empresa, promovida pelo governo federal, passando pela exigência de que a Direção Regional dos Correios atenda suas reivindicações e por fim, exigindo o  atendimento das reivindicações da pauta nacional da categoria por melhores condições salarias e de trabalho. Os trabalhadores dos Correios em Santa Catarina, ao contrário da maioria das outras categorias, têm um sindicato combativo que estará percorrendo as regiões para garantir que a mobilização da categoria seja vitoriosa. 

Paralisação no Centro de Saúde
Quem não se lembra da beleza que eram os postos de saúde de Florianópolis nas propagandas eleitorais? Mas infelizmente, a realidade é bem distante disso. Na quinta feira  passada, por exemplo, os funcionários  do Centro de Saúde do Saco Grande foram obrigados a paralisarem por falta de condições de  trabalho. Depois de suportarem por um ano uma obra que já esta com cinco meses de atraso, os servidores da saúde partiram para a luta. 

No sul do estado, a classe operária em luta
Os operários de duas categorias profissionais da região de Criciúma entraram em greve na semana passada. Tanto os mineiros como os metalúrgico, lutam por uma  reposição salarial acima da que os patrões querem pagar. Embora a economia catarinense tenha crescido nos últimos anos três vezes mais que a media nacional, os salários daqui seguem entre os mais baixos do país é a média mais baixa da região sul. Por isso, mesmo com toda a chantagem dos patrões, os trabalhadores tem ido à luta e os mineiros já conseguiram vitórias em várias minas.

JBS
Também no sul, os trabalhadores das unidades de Forquilhinha, Nova Veneza e Morro Grande das JBS fecharam o acordo com a empresa. Essa empresa é terrivelmente exploradora, mantendo salários e condições de trabalho muito ruins. Mesmo as pequeníssimas melhoras conquistadas foram frutos de greves e mobilizações que aconteceram em dezembro do ano passado. É isso ai  companheiras e companheiros só a luta muda a vida.

Greve dos Garis
Após quase uma semana de paralisação, a justiça do trabalho determinou o fim da greve dos Garis da empresa Proactiva. Essa empresa é responsável pela coleta de lixo das prefeituras de Palhoça e Biguaçu, que terceirizaram o serviço essencial. Com essa decisão, mais uma vez, a justiça provou que prefere ficar ao lado dos empresários contra os trabalhadores que lutam contra a exploração. Por isso temos que ter claro, nas nossas lutas dependemos só de nossa força para sermos vitoriosos.

Tragédia anunciada.
A sequência de acidentes rodoviários com ônibus em nosso estado teve seu episódio mais trágico nesse final de semana. Esse acidentes são frutos da descaso com que as autoridades tratam esse tipo de transporte. As empresas não realizam manutenção nos ônibus a contento, superexploram os motoristas, levando-os a trabalharem muito mais horas do que têm condições e não oferecem mesmo treinamento para situações de emergência. Não a toa, as grandes empresas de transporte do estado são diretamente ligadas a políticos influentes dentro do governo, e portanto, praticamente decidem sobre a sua própria fiscalização. Além disso, pequenos empresários se aproveitam da falta de fiscalização para burlarem as normas de segurança, que já são bem menores que a de automóveis, por exemplo.

*Nessa semana não faremos a "Pérola da semana". Isso porque foi tanta besteira dita e escrita durante o fim de semana que ficou impossível escolher uma só. Elas mereceriam um  “FEBEAPÁ - Festival da Besteiras que Assolam o País”, nome do célebre livro de Stanislaw Ponte-Preta, que narrava as incríveis besteiras que faziam e diziam os militares e seus cúmplices durante a ditadura militar. Com a publicação dessas pouca frases abaixo, queremos deixar nosso alerta. Em especial àqueles que não viveram o período ditadura, onde os poderosos e seus capachos, por mais idiotas que fosse, tinham poder para cometer todos os tipos de barbaridades, impunemente. 

“Chega de doutrinação marxista. Basta de Paulo Freire”.
“Chega de genocídio! Intervenção militar, já.”
“Prefiro lavar privada em Miami a passar fome em cuba”
“Luto - Pelo fim da democracia. - Intervenção militar já”.
“Dilma arruma logo um namorado pra parar de fuder com a gente.”
"Mãe desculpa, deixei o quarto bagunçado pra vir arrumar o Brasil"



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou dessa matéria? Deixe seu comentario.