terça-feira, 21 de abril de 2015

Coluna nº23 - Terceirização, manifestações, petrobrás e rupturas com o PT. Veja alguns temas da semana.

 


Carne em alta 
Após reunião com o governador Colombo, o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, afirmou que a carne suína vai subir ainda mais, pois SC está conquistando novos mercados internacionais. O que é motivo de comemoração para esses empresários, que com grande ajuda do governo estadual conseguem exportar mais, não o é para os trabalhadores catarinenses. Pois nenhum aumento de produção desses grandes frigoríficos tem representado qualquer melhoria para nós trabalhadores, que ainda sofremos com esses aumentos absurdos nos preços das carnes.
Querem terceirizar tudo I 
O empresariado catarinense ainda não está satisfeito com os miseráveis salários que pratica.  Suas entidades, com a FISC a frente, estão tendo uma atuação destacada sobre o congresso nacional para a aprovação da PEC 4330 que permite a terceirização total da mão de obra. E depois ainda falam que nossa “pujança econômica” se deve ao espírito empreendedor de nossos empresários, quando na verdade seus enormes lucros se dão principalmente pelos baixíssimos salários que pagam aos trabalhadores no estado.
Querem terceirizar tudo II
Na verdade, esses empresários já recorrem regularmente a terceirização mesmo em atividades que pela legislação atual estão proibidas. Isso ocorre porque a fiscalização é muito pequena e grande parte dos sindicatos desconhece ou faz vista grossa para essas situações. Mais agora os empresários querem legalizar essas práticas nocivas. 
Aliado dos empresários
Mais não só as entidades patronais e os arqui-pelegos da Força Sindical defendem a aprovação da PEC 4330. Novamente o ministro do Trabalho, o catarinense Manoel Dias(PDT), se colocou ao lado desses tentando justificar mais esse ataque aos trabalhadores. Desse jeito deveriam mudar o nome de sua pasta para ministério do capital.
Não contavam com nossa reação
Mais as entidades empresárias contavam com uma aprovação rápida e tranquila da PEC 4330 e “caíram do cavalo”. A forte reação dos trabalhadores, inclusive a aqui no estado, os surpreenderam. Agora eles mesmos acham melhor adiar essa votação em Brasília para poderem ter mais tempo para “pressionar” os “nobres” deputados.
O dia 15 no estado
Foram importantes as mobilizações que ocorreram aqui no estado no dia nacional de paralisações contra a aprovação da PEC 4330. Houve manifestações e paralisações em todas as principais cidades do estado. Isso demonstra que se a direções das centrais sindicais, em especial a CUT, quiserem organizar uma greve geral para derrubar esse tremendo ataque aos trabalhadores, isso é plenamente possível, pois os trabalhadores já demonstraram que estão dispostos a lutar.
Esquerda Marxista
O Comitê Central da Esquerda Marxista (corrente interna do PT), divulgou resolução onde chama a sua Conferência Nacional, que será realizada ainda em abril, a aprovar a saída de sua organização de dentro do PT. Essa corrente tem um importante trabalho sindical em nosso estado em servidores municipais (Joinville e Florianópolis). Por isso, essa medida poderá se transformar em um importante passo adiante para a luta dos trabalhadores, se for acompanhada da saída dos companheiros da central sindical governista, a CUT, que hoje é o principal entrave para a luta dos trabalhadores.
Crise da Petrobras
Novamente a crise da Petrobrás atinge o estado, dessa vez a diretoria da estatal promete desativar a Unidade de Produção de Petróleo Sul do Brasil (UO-Sul). Essa unidade tem sua sede administrativa em Itajaí e conta com importante atuação em vários setores da região. O fechamento dessa que é a quinta unidade de produção no País significara uma crise econômica e social não só para Itajaí como para toda a região. Significara principalmente um ataque aos trabalhadores que para não perderem seus empregos terão que se deslocarem para outros estados. 

Protesto criativo
Além de combatividade o sintraturb tem esbanjado criatividade. Nessa semana os companheiros tiveram uma importante participação no dia nacional de luta contra a PEC da terceirização ainda fizeram uma inusitada manifestação contra as condições de insegurança no trabalho. Uma carcaça de ônibus totalmente danificada foi erguida por um guindaste na beira da via expressa de Floripa e nele foi pendurado uma grande faixa onde se lia “quantas vidas ainda serão perdidas nas nossas rodovias por conta da ganância e do descaso? Cadê o Deter?” Numa alusão aos constantes acidentes envolvendo ônibus.
São José
A repressão da prefeitura e a ameaça da justiça não quebraram a resistência dos trabalhadores municipais de São José. Foi necessário a prefeitura voltar atrás e negociar novas propostas, só assim a categoria suspendesse sua greve. Parabéns aos companheiros pela luta e pelas pequenas vitórias.

Parcialidade da RBS
Bastou que o ministério público de SC questionasse a forma com que a prefeitura de Florianópolis tinha mudado o plano diretor para permitir a construção do hotel na Ponta Coral para que a RBS saísse alvoroçada na defensa do absurdo empreendimento. No “Jornal do Almoço” dessa emissora a coisa chegou a ponto, que durante a reportagem eles exibiam imagens fornecida pela construtora Hantei sobre como será o hotel que pretende construir. Estava bem mais para uma propaganda do empreendimento do que uma reportagem sobre o assunto.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou dessa matéria? Deixe seu comentario.