quinta-feira, 2 de junho de 2016

Saudação às conquistas da greve dos Trabalhadores do Transporte Urbano da Grande Florianópolis




Por Gabriela Santetti, militante do PSTU


Na noite da última segunda-feira, estive presente na assembleia que deflagrou a greve dos trabalhadores do transporte urbano da grande Florianópolis a partir das 00:00 do dia seguinte. A greve durou 48h e arrancou uma grande conquista dos patrões conquistando 10% de reajuste salarial e gatilho de reposição da inflação em novembro. O vale alimentação totalizará 17,24% e os dias paralisados não serão descontados. Novamente os trabalhadores do transporte coletivo mostram o exemplo para as demais categorias e partem para uma greve vitoriosa contra patrões e governos. O PSTU declarou seu total apoio à greve, e repudiamos as tentativas de criminalização do movimento. Parabenizamos novamente a categoria por esse exemplo de luta.

A crise econômica que temos hoje no país é muito grave com mais de 11 milhões de desempregados. Mas os patrões do ônibus não têm do que reclamar, pois não vem sendo diretamente afetados por ela. Pelo contrário, a crise leva muitas famílias a deixarem o transporte privado em casa e andar de ônibus, basta ver o caos que a cidade se tornou nos últimos dois dias.

Além disso, seguem os aumentos nas passagens de ônibus, isenções fiscais e subsídios aos empresários por parte da prefeitura de César Jr. e tivemos a implantação do consórcio Fênix no molde que os empresários queriam. Dinheiro tem para atender as reivindicações dos trabalhadores e melhorar o transporte público para toda a população.

Os patrões deveriam dar ainda mais, mas não o fazem por ganância e para isso contam com o apoio da prefeitura e da corrupta Câmara de Vereadores. Recentemente a Câmara de Vereadores barrou a cassação dos mandatos dos vereadores Badeko e César Faria, que estavam envolvidos num esquema de propinas que veio à tona com a operação Ave de Rapina.

O escândalo de corrupção também envolvia o prefeito da cidade, César Jr, e o governador do estado, Raimundo Colombo, embora estes nunca tenham sido formalmente acusados pela operação da Polícia Federal. Na Câmara de Vereadores temos atualmente pelo menos 14 dos 23 “representantes do povo” envolvidos em corrupção É Fora César Jr, Colombo, Temer, essa Câmara de Vereadores... Eleições Gerais, Já!

Em Brasília não é diferente. A lista da Odebrecht, a Lava Jato e outros escândalos atingem figurões de grandes partidos como PMDB, PSDB, PT, PP, PSD e o Congresso Nacional. Cada vez mais fica evidente que são todos iguais. É Fora César Jr, Colombo, Temer, a Câmara de Vereadores e esse Congresso Nacional! Voltar Dilma e Cunha nem pensar! Fora Todos eles! Eleições Gerais sem corruptos podendo concorrer! Não Podemos Pagar pela Crise!


Os trabalhadores do transporte com suas mobilizações mostram o caminho para barrarmos os planos dos governos e patrões: a luta.  Para barrar os ataques desses governos precisamos construir uma Greve Geral!

Hoje a política dos patrões do ônibus e do prefeito César Jr é a regra em todo país. Todos os patrões querem jogar a conta da crise nas costas dos trabalhadores, inclusive de forma preventiva. Nessa política Colombo, Temer, o Congresso Nacional e antes também Dilma, estão juntos. É desemprego, arrocho salarial e cortes de direitos, em especial, contra mulheres, negras e negros e LGBTs. Não podemos aceitar isso.

Dilma, Lula, o PT e a direção da CUT tentam convencer os trabalhadores nesse momento de que houve um golpe no Brasil para justificar um “Volta Dilma”. Nós, do PSTU, acreditamos que o verdadeiro golpe no país é governar para os ricos e poderosos e nisso o PT está junto do PMDB, do PSDB e de César Jr. Acreditamos que é hora de construir uma greve geral para barrar a nova reforma da previdência, as privatizações, os cortes de verbas na saúde e na educação, a entrega do pré-sal e outros ataques que Dilma começou e Temer agora quer terminar.


A Força Sindical e a CUT devem parar de negociar com o governo Temer e romper com ele chamando, atendendo ao chamado da CSP-Conlutas para construir a greve geral. Devemos seguir o exemplo da classe trabalhadora francesa que neste momento faz uma grandiosa greve geral. Só assim vamos botar todos os corruptos pra fora, derrotar o plano econômico de desemprego e de arrocho, dar fim à retirada de direitos e garantir eleições gerais com novas regras. Rumo a um governo socialista dos trabalhadores formado por conselhos populares!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou dessa matéria? Deixe seu comentario.