sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Um chamado à Rebelião em Santa Catarina

PSTU-SC lança Ingrid Assis para concorrer ao governo de Santa Catarina
Por: PSTU Grande Florianópolis

No dia 22 de julho, ocorreu a Conferência e Lançamento das candidaturas do PSTU para Santa Catarina. O partido apresentará uma chapa própria, sem coligações, encabeçada por Ingrid Assis, candidata ao governo do estado e Ederson da Silva como vice.

A chapa apresenta Ricardo Lautert para o Senado e, para deputados federais, Gabriela Santetti de Florianópolis e Jonas Orben de Joinville. E para concorrer como deputados estaduais, o PSTU apresenta o rapper e poeta DKG Dekilograma, de São José, e a estudante Rafaela Brito Pereira, de Criciúma.

Ingrid Assis é a única mulher candidata ao governo do estado e a primeira candidata indígena ao Governo de Santa Catarina. Indígena da etnia Sateré-Mawé, Ingrid é professora da rede estadual e dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (SINTE-SJ). Moradora da Palhoça, Ingrid tem 30 anos e é mãe de um casal.
Ederson da Silva, candidato a vice-governador, tem 36 anos, é professor da rede pública, dirigente sindical e militante do movimento negro de Criciúma.

As candidaturas do PSTU são um ponto de apoio às lutas dos trabalhadores, das mulheres, dos negros e negras, LGBTs, indígenas, imigrantes e dos moradores das periferias contra toda as formas de opressão e exploração. São candidaturas que denunciam a farsa das eleições como um jogo de cartas marcadas distribuídas pelos ricos e poderosos, e fazem um chamado à rebelião “dos de baixo” para derrotar “os de cima”.

O PSTU defende um governo dos trabalhadores, formado por conselhos populares nos bairros e locais de trabalho. E faz um chamado à rebelião popular, única maneira de acabar com o sistema capitalista, e derrubar esses governo que defendem os interesses dos ricos e poderosos, e construir uma sociedade socialista.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou dessa matéria? Deixe seu comentario.